Vivência Sublimada


A energia criadora da vida é vivenciada de forma errônea e exacerbada na face da Terra. A criatura humana ainda não conseguiu domar os seus instintos animais vivenciando de forma indisciplinada e libidinosa o sexo na sua expressão mais rudimentar.

Deves, entretanto, lutar pela canalização dessa energia em tua vida, sublimando e exercendo-a com um fim útil para ti mesmo e para a sociedade.

Respeita o parceiro, a pessoa escolhida, pois isso, é dever de todos. Na comunhão sexual são dois corpos, dois seres, que necessitam transmutar energias e vibrações positivas o que não se confunde com a busca desenfreada do prazer, do prolongamento máximo do orgasmo, bem como, a saciedade de fantasias das mais comezinhas.

A função sexual existe para ser vivenciada, mas dai a ela a sua função e objetivo. Não engendres - cries objetivos e interesses para atender-te. Viva a sexualidade dignamente, exprima a beleza através dos dons que Deus te ofereceu e siga adiante. Canaliza as energias e irás para locais jamais visitados. Viaje para dentro e descubra-te. O fim último da criatura é atingir a perfeição, sublimando também a função sexual para plenificar-se.

Que Jesus os abençoe e fortaleça-os na caminhada

Maria Dolores


(Mensagem psicografada pelo médium e orador espírita Wellerson Santos na noite de 24 de junho de 2009).


Palestra: Marta e Maria

Tema: Marta e Maria
Data: 17/05/09
Local: Fraternidade Espírita Irmão Glacus

Orador: Wellerson Santos

video

Luz da Luzes


Luz das Luzes

Quando no século das luzes uma Luz se acendeu no solo francês, o dealbar de uma Nova Era se instaurou na face da Terra. O advento da Doutrina Espírita – o Consolador Prometido por Jesus – é consolação e esclarecimento em relação as verdades cristãs, aclarando-nos o entendimento e alargando o pensamento para que se fixe em nosso ser o Evangelho Redentor.
Desde muito antes, a preparação ocorria no Plano dos Espíritos, e a chegada de Allan Kardec ao mundo é o marco preponderante, pois ele é o espírito que fora escolhido para a missão extraordinária de codificar essa ciência, filosofia e religião.
O Espiritismo é a Luz Maior, vertente que traz Jesus de volta aos corações e caminha para expandir-se na Terra, levando consolo e esclarecimento, por meio dos seus postulados irretorquíveis, porque baseada em fatos, experimentações e experiências.
Sigamos em frente.
Avante, Espíritas!
Paz e luz aos corações!
Fritz Schein
(Mensagem psicografada pelo médium e orador espírita Wellerson Santos na noite do dia 30 de maio de 2009).

Entrevista: Célio Alan Kardec de Oliveira


Espíritas: Amai-vos e Instruí-vos
Célio Alan Kardec de Oliveira durante o IV Congresso Espírita Mineiro, abordou o tema: Espíritas – Amai-vos e Instruí-vos. A assertiva recebida por Allan Kardec do Espírito de Verdade e dirigida a todos nós que abraçamos essa doutrina de amor. Célio Alan durante sua exposição mostrou-nos como devemos unir os dois mandamentos na nossa vida cotidiana.
O conferencista nasceu em berço espírita e é militante do Grupo da Fraternidade Espírita Irmã Scheilla em Belo Horizonte – MG onde dirige uma reunião de desobsessão há mais de vinte anos. Escreveu algumas obras: Movimento da Fraternidade, Obsessão e Transtornos Psíquicos, Fraternidade - Chama Inextinguível, tendo participação ativa na obra Depressão e Mediunidade, bem como no livro Homeopatia e Espiritismo. Sempre que possível o nobre confrade está presente em nossa instituição realizando palestras e participando conosco das feiras do livro espírita autografando suas obras.
Após a conferência, recebemos Célio Alan Kardec de Oliveira na sala de imprensa onde carinhosamente nos respondeu as perguntas que ora publicamos para a sua apreciação.

Wellerson Santos (Wellerson): O tema proposto ao senhor: Espíritas – Amai-vos e Instruí-vos está bem relacionado ao tema central do IV Congresso Espírita Mineiro: Espiritismo – Amor e Educação. Na sua opinião o que é mais importante: o amor ou a instrução?
Célio Alan Kardec de Oliveira (Célio):
O amor é mais importante. Confirmo esta afirmação com base na assertiva do Espírito de Verdade contida em O Evangelho Segundo o Espiritismo, capítulo 6: “Espíritas! Amai-vos, eis o primeiro mandamento; Instruí-vos, eis o segundo mandamento”. Porque o amor cobre a multidão de pecados e ele é o laço sagrado que liga as criaturas elevando-as até Deus. A instrução é essencial, porque ela proporciona conhecimento e este leva ao discernimento e a compreensão da dinâmica da vida. Mas não basta você se instruir – faz-se imprescindível testemunhar o conhecimento na ação, sem o que o conhecimento será inócuo. A ausência do amor distancia as pessoas umas das outras.

Wellerson: Muitas pessoas após o primeiro contato com os princípios espíritas através das obras romanceadas, buscam se aprofundar mais através das obras da Codificação. No entanto, alguns dizem ter dificuldades na assimilação e compreensão diante de tais obras, mantendo-se, portanto, somente na leitura dos romances. Qual o melhor procedimento para o principiante espírita entender os postulados de nossa Doutrina?
Célio:
Muitas criaturas são autodidatas e assimilam os ensinos espíritas pelo esforço pessoal. Adotando as obras da Codificação Kardequiana, penetram a sua essência, ao longo do tempo, através de muitos estudos, reestudos e meditações. Não e possível, todavia, generalizar este caminho: cabe à Casa Espírita o dever intransferível de proporcionar a instrução espírita aos que lhe procuram a sua intimidade, formando adeptos e trabalhadores capazes de espalhar as verdades espíritas. A Federação Espírita Brasileira (FEB) já instituiu o Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita (ESDE) que é um segmento muito importante, porém urge um esforço no sentido de se implantar nas Casas Espíritas cursos regulares com outra dinâmica e, nesse particular, várias instituições já assim procedem e com muito êxito, favorecendo tanto aos simpatizantes ou iniciantes espíritas quantos aos trabalhadores de uma forma geral.

Wellerson: A instrução muitas vezes leva o indivíduo a percorrer trilhas que destoam do caminho correto. Pessoas muito intelectualizadas tendem a desenvolver o orgulho e a vaidade. Como devemos proceder para que isto não ocorra?
Célio:
Bezerra de Menezes preocupou-se muito com esta questão quando ocupou a presidência da FEB, percebendo que o Movimento Espírita estava a ponto de sofrer cisões. Existem adeptos que se afeiçoam à ciência, outros que se devotam mais à filosofia e ainda outros que se consagram ao chamamento do evangelho. Tudo perfeitamente natural e existe campo para todas essas tendências O que não pode ocorrer são as disputas estéreis, os comportamentos personalistas e os desentendimentos diante de eventuais divergências. A solução é tornar o Cristo presente em nós, nas Casas Espíritas, fora disto estaremos sempre entrando em contradições, falseando caminhos e tomando decisões que não sejam as mais importantes para a Causa do Cristo que deve ser a nossa causa. É preciso buscar unidade de princípios na forma binômio: amor e sabedoria!

Wellerson: Muitos indivíduos dentro de sua faixa de compreensão vivenciam o amor de forma errônea. Confundem-no com extrema bondade, com subalternidade, com passividade. O que nós podemos fazer para melhor vivenciarmos este sentimento tão belo, no entanto, tão carente de entendimento?
Célio:
O Espírito André Luiz adverte-nos que no campo das relações interpessoais, nem a doçura sistemática que anestesia a mente, sem renová-la e nem a energia contundente que não educa e nem ampara.Cabe-nos compreender e descobrir um caminho, onde o amor se manifesta numa linha de equilíbrio e de harmonia. Para alcançar isto, não temos outra alternativa, que não seja a de nos render definitivamente e seguir os ensinos de Jesus. Fora disso, estaremos sempre adiando projetos de renovação íntima e causando sofrimento nos outros.

Wellerson: André Luiz nos diz que são duas as asas que nos conduzem a evolução: a asa da razão e a asa do sentimento. O que está em conformidade com os mandamentos deixados pelo Espírito de Verdade em O Evangelho Segundo o Espiritismo. Numa encarnação é possível ao espírito desenvolver concomitantemente as duas asas ou elas se desenvolverão individualmente?
Célio:
O progresso do espírito não é fragmentário e cada existência proporciona, em tese, a conquista de valores morais e os de natureza intelectiva. Claro que em faixas evolutivas mais primárias a razão vai sobrepor-se e o progresso é mais intelectual; nas faixas evolutivas mais medianas um e outro acontecem, de uma forma ainda não eqüitativa, porém nas faixas superiores da evolução a virtude e o saber, avançam em conjunto, irmanados, no gráfico do progresso, em face o elevado grau de compreensão da vida alcançado pelo viajor imortal. A lei determina a alternância de vidas com experiências muito diferenciadas, onde numa existência, buscando o equilíbrio, desenvolver-se-á o campo da inteligência, sem prejuízos para o aprimoramento e conquistas das virtudes que adornam o caráter e, noutra existência, vivenciando experiências para inocular, no imo do ser, a soberania do amor!

Wellerson: Qual é a mensagem que o senhor deixa para os nossos internautas?
Célio:
Estejamos todos convictos que o amor é essência da vida e é o hálito de Deus ligando as criaturas rumo às conquistas inolvidáveis do espírito.

Jesus nos abençoe!
Wellerson Santos

(Foto: Edson Flávio – Entrevista publicada pelo jornal Evangelho e Ação – Órgão de Divulgação da Fraternidade Espírita Irmão Glacus)


O Ser Consciente



O Ser Consciente
Divaldo Pereira Franco
Espírito: Joanna de Ângelis
O Ser Consciente é mais uma obra da Série Psicológica do Espírito Joanna de Ângelis através da mediunidade do médium e orador baiano Divaldo Pereira Franco. Sendo o quinto livro da série, aborda de forma direcionada e esclarecedora o estudo da personalidade humana. Utilizando-se dos estudos psicológicos, em uma linguagem clara e ao alcance de todos, fala acerca dos problemas que nos afligem na atualidade, oferecendo verdadeiro manual de sugestões e diretrizes para uma vida feliz, cristã e, por conseguinte espírita.
Joanna esclarece que diante das aflições e do mundo conturbado em que vivemos o homem vem buscando mecanismos escapistas em realizações externas para solucionar as suas dificuldades internas. Embora, estas realizações possam acalmar as ansiedades que vêm do coração, não podem erradicá-las. No mundo capitalista e imediatista vivemos o momento da posse – do ter, acreditando que tendo nossos desejos realizados resolveremos o problema e sentiremos muito mais felizes. Ledo engano, muitas vezes, essas conquistas levam a novos e terríveis sofrimentos.
O homem pode e deve ser considerado como sendo sua própria mente – assevera a mentora. A nossa mente comanda todo o nosso corpo, aquilo que cultivamos em nosso íntimo constitui a nossa essência e legitimidade, embora muitas vezes, enfrentemos a dicotomia do parecer e do ser. Os conflitos psicológicos, as dificuldades do caminho, as adversidades da vida, devem ser enfrentadas, porque ignorar uma situação não significa eliminá-la ou superá-la. Enraizados profundamente dentro do nosso ser, os conflitos leva-nos a distúrbios, desde os mais simples complexos de inferioridade até os estados graves de alienação mental.
O ser consciente deve trabalhar-se sempre, partindo do ponto inicial da sua realidade psicológica, aceitando-se como é e aprimorando-se sem cessar. Somente consegue essa lucidez aquele que se auto-analise, disposto a encontrar-se sem máscara, sem deterioração. Para isso, não se julga, nem se justifica, não se acusa nem se culpa. Apenas descobre-se.
Nos capítulos finais do livro, o Venerando Espírito apresenta-nos caminhos para a conquista de nós mesmos, desenvolvendo temas de auto-relevância para a nossa renovação: o auto-amor, a alo-estima, a oração, o relaxamento, a meditação, a oração e o autoconhecimento.
É claro e óbvio, que todas as doutrinas psicológicas como a Parapsicologia, a Psicobiofísica, a Psicotrônica, a Psicologia Transpessoal, a Psiquiatria e outras deu-nos e dá-nos perspectivas de felicidade, contudo, o Espiritismo descortinou para todos nós a valiosa possibilidade de ser consciente, propondo-nos o auto-encontro e a autodescoberta a respeito da vida. A questão 919 de O Livro dos Espíritos explicita bem esse caminho e Santo Agostinho mostra-nos o que ele utilizou para encontrar a sua plenitude.
Este livro – O Ser Consciente - não apresenta qualquer técnica nova ou milagrosa, mas estuda algumas problemáticas humanas, colocando uma ponte entre a Psicologia e a Doutrina Espírita, que é portadora de uma visão profunda e integral do ser. Temos certeza, que o caro leitor, compreenderá muitas situações da vida quando beber dessa fonte inesgotável de informações e esclarecimentos que Joanna de Ângelis traz com o seu saber e evolução.
Jesus nos abençoe!
Wellerson Santos
(Artigo publicado pelo jornal Evangelho e Ação - Órgão de Divulgação da Fraternidade Espírita Irmão Glacus)

Campanheiros

Campanheiros

Seja nas manhãs de sábado ou domingo, seja nas tardes de sábado, servidores dispostos ao trabalho se reúnem para ajudar e se ajudarem.
Pelas ruas da cidade, nos bairros nobres ou nas periferias, com a sacola na mão, estão os campanheiros.
De porta em porta, de rua em rua, pedem e doam!
Irmanados a eles, estamos nós, que também abraçamos a causa. Adentrando cada lar, sendo ele doador ou não, levamos o lenitivo, segundo a necessidade e o merecimento de cada um.
Ao tarefeiro compromissado repassamos a incumbência de levar o sorriso, a mensagem, à palavra amiga e a oportunidade de servir.
O médium do alimento, prestimoso, traz para a instituição caritativa o pão que vai a mesa do ser que clama auxílio e proteção.
Segue servindo e amando campanheiro, dando o que possui de melhor dentro de ti para que a tarefa dignificante cumpra os seus reais objetivos.
Jesus nos abençoe!

Irmão Vicente
(Mensagem psicografada pelo médium e orador espírita Wellerson Santos, na noite do dia 23 de maio de 2009).